30/05/2017 17h23 - Atualizado em 30/05/2017 17h23

27ª edição da Expocachaça e 11ª Brasilbier esperam movimentar R$ 50 milhões em negócios

De 08 a 11 de junho, acontece em Belo Horizonte a maior feira mundial da cadeia produtiva e de valor da cachaça. A 27ª Expocachaça e 11ª Brasilbier marcam 20 anos de atividades ininterruptas do festival. Ao longo destas duas décadas, o evento já reuniu mais de 2 milhões de visitantes e contabiliza mais de 300 milhões de reais em negócios gerados. A estimativa para este ano é uma movimentação de R$ 50 milhões, durante e após a feira, 20% a mais que a edição anterior. Esta edição registra ainda um crescimento de 25% da feira, uma estrutura montada de 12 mil m².

A novidade desta edição será o lançamento de uma unidade móvel pioneira: a carreta Alambique-Escola Brasil de capacitação e aperfeiçoamento da mão-de-obra da cadeia produtiva e de valor do agronegócio da cachaça. A iniciativa vem atender a demanda dos estados produtores da bebida, como elemento catalizador do processo de modernização do setor, levando até os produtores o conhecimento necessário para produzirem com qualidade e dentro dos padrões legais e exigidos pelo mercado de bebidas destiladas no mundo, tornando a cachaça um produto mais competitivo.

O projeto é uma realização do CBRC – Centro de Referência da Cachaça, a Truckvan (a maior empresa de soluções sobre rodas do Brasil, com a parceria da empresa Alambiques Santa Efigênia e EMATER-MG. Ela conta com um alambique de cachaça, coluna de álcool, laboratório, sala de aulas para 15 alunos, biblioteca e videoteca. Ela será lançada na Expocachaça com a realização de aulas-show.

A edição deste ano reunirá cerca de 150 expositores, entre produtores de cachaça e cerveja artesanal, além de fornecedores de equipamentos e insumos para o setor. Ao todo os visitantes poderão conferir aproximadamente 600 marcas de cachaças de produtores de 23 estados do país, e 50 rótulos de cervejas. Dentre os estados participantes, destacam-se, além de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Bahia, São Paulo, Santa Catarina, dentre outros. E expectativa de público para os quatro dias de evento é 40 a 50 mil pessoas.

O mercado da cachaça

A cachaça tem, a cada ano, demonstrando sua importância no cenário econômico nacional. O país já registra 1,4 bilhão de litros da bebida produzidos anualmente, sendo que Minas Gerais registra 230 milhões de litros ao ano, ou seja, 60% de toda a produção do país. O Brasil conta hoje com 40 mil produtores de cachaça, sendo 98% deste montante formado por micro e pequenos empresários, gerando 600 mil empregos diretos e indiretos. Reside aí a importância da Feira, que traz visibilidade para estas marcas e para a própria bebida.

Segundo José Lúcio Mendes, presidente da Expocachaça, o evento foi o principal responsável pela visibilidade atingida e pelo status de destilado nobre, retirando a bebida do gueto a que esteve relegada por muitos anos, promovendo sua divulgação nos mercados interno e externo. “O sucesso do evento está na sua concepção de Feira e Festival, com uma proposta aberta a novos expositores e uma programação mais eclética e complementar, em que negócios, lazer, entretenimento, gastronomia, turismo, cultura e espetáculo interagem em convivem harmonicamente”, ressalta.

FONTE:  Expocachaça

últimas: notícias vídeos

cotações

  • Milho amarelo – Rio do Sul/SC – (Epagri)

    21/07/2017

    valor

    R$ 23,00

  • Arroz irrigado em casca – Jaraguá do Sul/SC (Epagri)

    21/07/2017

    valor

    R$ S/Inf.

  • Suíno vivo – Sul Catarinense/SC (Epagri)

    21/07/2017

    valor

    R$ 3,30

  • Feijão Carioca -Tipo 1 – Paraná (Seab)

    21/07/2017

    valor

    R$ 99,60

  • Suíno vivo – Jaraguá do Sul/SC (Epagri)

    21/07/2017

    valor

    R$ S/Inf.