26/10/2017 13h00 - Atualizado em 26/10/2017 13h00

Aplicativo ajuda a manejar plantas forrageiras para alimentar rebanho

Como administrar a reserva de alimentos para os rebanhos ao longo do ano? Como tomar decisões para inserir animais em áreas de pastagens ou efetuar descartes caso a reserva não seja suficiente? Para ajudar produtores rurais e técnicos a encontrarem respostas ágeis e confiáveis para questões como essas, a Embrapa lançará no dia 7 de novembro, no SemiáridoShow, em Petrolina (PE), um aplicativo para telefones celulares que ajudará nos cálculos de orçamentação forrageira, ajudando a administrar a reserva de alimentos nas propriedades e colaborando para as tomadas de decisão sobre os rebanhos. Após o lançamento, o aplicativo estará disponível, em download gratuito, no Google Play, para usuários de telefones com o sistema Android.

A orçamentação forrageira já era praticada por produtores com uso de ferramentas como uma planilha manual desenvolvida pela Embrapa. Mas, segundo a zootecnista Ana Clara Cavalcante, pesquisadora da área de Forragicultura e Pastagens da Embrapa Caprinos e Ovinos (CE), houve demanda do setor produtivo por uma forma de facilitar e agilizar os cálculos necessários para a orçamentação.

“O aplicativo foi uma demanda dos usuários da tabela por um modo mais fácil de fazer a contabilidade. Com ele, basta informar dados de tamanho de propriedade, tipos de fonte de forragem e o tamanho do rebanho em que automaticamente a orçamentação é realizada”, destaca Ana Clara. Para ela, o aplicativo traz, como principais vantagens, a praticidade e velocidade no processamento dos dados, com uma resposta mais rápida e com menor chance de erros nas contas para se chegar ao chamado saldo de forragem (diferença entre a quantidade de forragem disponível e a que é demandada por animais do rebanho em um período de tempo), indicador que revela, com precisão, a disponibilidade de alimento nas propriedades.

Ana Clara reforça, também, que o uso do aplicativo pode contribuir para atrair a juventude rural para questões referentes ao planejamento nas propriedades, além de facilitar a administração. “A facilidade em se obter respostas de quanto de forragem a propriedade apresenta, e de quanto ela precisa, auxilia no processo de tomada de decisão”, ressalta a zootecnista.

O aplicativo da orçamentação forrageira é uma das ações do projeto Forrageiras para o Semiárido, parceria da Embrapa com a Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária (CNA). O desenvolvimento da ferramenta está sob responsabilidade da equipe de Tecnologia da Informação (TI) da Embrapa Gado de Corte (MS). Segundo Camilo Carromeu, analista de TI que coordena a equipe, o aplicativo trará funcionalidades como a capacidade de simular diversas condições referentes à realidade dos rebanhos e da alimentação fornecida.

 

Passo a passo

O especialista explica que cada usuário poderá fazer o download e se registrar por meio de sua conta no Facebook ou Google, o que contribuirá para que ele não perca informações já inseridas, caso ele perca ou troque seu aparelho de telefone celular. “Todos os dados serão gravados em nuvem e migrarão automaticamente para um dispositivo novo”, frisa.

Daí, segundo Carromeu, começará o uso. O primeiro passo é cadastrar o nome da propriedade, identificar sua localização (cidade e estado) e seu tamanho, em hectares. Em seguida, inserir a extensão das áreas destinadas à alimentação, na propriedade, e se o produtor utiliza alguma espécie de capim.

O passo seguinte será detalhar o rebanho. Para isso, basta inserir os números da quantidade de animais de cada espécie que consumirá plantas forrageiras (caprinos de leite ou corte; ovinos de corte; bovinos de leite ou corte) e suas características (matrizes, reprodutores ou animais jovens), além do peso médio de cada um. Depois disso, o produtor ou técnico informa se, na propriedade, há fornecimento de suplementação aos animais.

“Com esses dados, é possível prever o saldo forrageiro mês a mês, assim como estimar a reserva em um prazo de doze meses. Aí o aplicativo fornecerá, também, indicador para que o produtor tome decisões como a inserção de animais na área de pastagem ou o descarte, caso o saldo forrageiro seja negativo”, acrescenta Camilo, salientando que, em breve, a ferramenta também será disponibilizada para usuários de aparelhos com sistema iOS.

O desenvolvimento de aplicativos para as rotinas produtivas no campo consiste, segundo o pesquisador Vinícius Guimarães, chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia da Embrapa Caprinos e Ovinos, em um passo importante para democratizar o acesso a soluções práticas.

“É uma tendência buscarmos soluções mais acessíveis. Vemos hoje um grande número de produtores com smartphones, conectados à internet e se essas tecnologias estiverem ao alcance das mãos facilitam as tomadas de decisão, seja em orçamentação forrageira seja em outras questões como preços de mercado, tratamento de doenças”, ressalta ele.

 

Orçamentação forrageira

A orçamentação forrageira já é recomendada pela Embrapa há alguns anos como uma ferramenta útil na rotina dos produtores, permitindo calcular a quantidade disponível e estimar a necessidade de forragem de sistemas pastoris. Seu objetivo é garantir equilíbrio adequado entre produção e demanda de forragem, possibilitando a realização do planejamento alimentar da propriedade e contribuir para aumentar a eficiência de uso do pasto, a produtividade e o desempenho animal.

Além do aplicativo, o produtor pode fazer seu orçamento forrageiro de forma manual, com planilha na qual assinale a quantidade de forragem disponível, a estimativa de consumo de seu rebanho e, calcular, mês a mês, se há sobra ou déficit de forragem. Seja com o aplicativo, seja com a planilha, a ferramenta poderá ajudar o produtor a identificar quando é possível fazer reserva de forragem, formando uma espécie de poupança para os períodos mais críticos do ano.

Em regiões como o Semiárido brasileiro, a orçamentação ganha importância, pois nelas as pastagens são a principal fonte de alimentação dos rebanhos. Dessa forma, a orçamentação pode ajudar a tomar decisões importantes, como as necessidades de aumentar a produção de forragem, vender animais de descarte ou mesmo de antecipar as compras de alimentos concentrados, em períodos em que estes têm custo mais barato. Assim, o agricultor poderá, também, profissionalizar a gestão em sua propriedade, passando a alimentar os animais com planejamento definido e compondo a chamada reserva estratégica de forragem, que permite ao produtor não ficar tão dependente do pasto nativo e dos recursos da região.

 

Forrageiras para o Semiárido

O projeto Forrageiras para o Semiárido testará, nos próximos dois anos, forrageiras tolerantes à seca nos nove estados do Nordeste e em Minas Gerais, para indicar aos produtores rurais alternativas para a alimentação de seus rebanhos. A estimativa é de que as estratégias de pesquisa e de transferência de tecnologias contarão com investimentos de R$ 2,2 milhões em suas ações.

A iniciativa integra o arranjo de projetos “Estratégias para garantir a segurança alimentar de rebanhos no ambiente semiárido”, da Embrapa, envolvendo, além da Embrapa Caprinos e Ovinos, a Embrapa Meio-Norte(PI), Embrapa Cocais (MA), Embrapa Semiárido (PE) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

Fonte: Embrapa

últimas: notícias vídeos

cotações

  • Arroz irrigado em casca – Jaraguá do Sul/SC (Epagri)

    21/11/2017

    valor

    R$ S/Inf.

  • Feijão Carioca -Tipo 1 – Paraná (Seab)

    21/11/2017

    valor

    R$ 108,43

  • Suíno vivo – Jaraguá do Sul/SC (Epagri)

    21/11/2017

    valor

    R$ S/Inf.

  • Milho – Paraná (Seab)

    21/11/2017

    valor

    R$ 22,42

  • Arroz irrigado em casca – Rio do Sul/SC (Epagri)

    21/11/2017

    valor

    R$ 40,00