29/08/2017 13h07 - Atualizado em 29/08/2017 13h07

COAMO: Farinhas de trigo têm garantia de qualidade

As farinhas de trigo das marcas Coamo e Anniela levam além do nome da maior cooperativa da América Latina, a certeza de que são alimentos com qualidade e segurança. O resultado desse trabalho sério e comprometido reflete-se em diversas pesquisas de satisfação do consumidor apresentadas em publicações de credibilidade. A mais recente foi o ranking divulgado pela Revista Super Varejo que destaca as cinco marcas mais compradas pelos consumidores brasileiros, onde a Farinha de Trigo Coamo ficou com a 5ª colocação na grande São Paulo.

Pesquisa – A 13ª Pesquisa As Mais Mais – A escolha do consumidor, é realizada pela Kantar Worldpanel que auditou 139 categorias em 52 milhões de lares brasileiros. Considera-se para efeito de análise, o ano fechado de 2016 (janeiro a dezembro) por meio da consolidação de informações provenientes do Painel Nacional de Domicílios Kantar Worldpanel.

Compromisso – O superintendente Comercial da Coamo, Alcir José Goldoni, destaca que este resultado reforça a responsabilidade da cooperativa em entregar um produto de excelência às mesas de milhões de brasileiros. “Em consonância ao que a Abitrigo – Associação Brasileira da Indústria do Trigo – preconiza aos seus associados, seguimos atentamente às determinações das leis brasileiras, principalmente aquelas focadas em oferecer produtos com todos os requisitos de saudabilidade para a população. ”

Origem – Goldoni explica que os Alimentos Coamo têm origem. “É um trabalho focado na produção da matéria-prima, no processo industrial, na logística e no cliente, para que chegue ao consumidor um produto diferenciado que é a nossa meta. O futuro da atividade dos donos da Coamo está na satisfação diária dos consumidores. Isto está incorporado em toda a cadeia de produção.”

Capacitação – Ainda com relação a produção da matéria-prima Goldoni esclarece que existe um trabalho de assistência técnica junto aos cooperados. “Os associados são os donos da Coamo e junto a eles realizamos um trabalho de capacitação técnica por meio de um quadro com mais de 280 agrônomos capacitados à desenvolver um trabalho, correto, consciente e responsável, iniciando-se com a escolha da semente, dos defensivos agrícolas, do plantio e colheita. ”

Indústria – Além disso, a Coamo conta com um moderno moinho de trigo, com capacidade de produzir farinhas com alta tecnologia. “Além do bom trabalho de recebimento e segregação executado na unidade de recebimento, quando na chegada ao moinho, os grãos de trigo passam por um minucioso processo de classificação, privilegiando a qualidade e a sanidade dos grãos, para correta destinação industrial passando por processo de beneficiamento que mantém a pureza dos grãos. Tudo isso, aliado ao alto nível de automação e moderno sistema de purificação de sêmolas e peneiramento, nos propicia um elevado grau de pureza e qualidade das farinhas, que torna o moinho de trigo da Coamo um dos mais modernos do pais”, explica o gerente do Moinho de Trigo da Coamo, Romão Ferreira Rodrigues Neto.

Qualidade – Por meio de diversas certificações e sistemas implementados, o superintendente Industrial da Coamo, Divaldo Correa, afirma que é possível assegurar a qualidade e a segurança alimentar. Uma garantia de que o alimento produzido pela Coamo, tem origem. “Com base em sua visão e valores, a Coamo tem desenvolvido vários processos operacionais e industriais que tem permeado em várias certificações, tais como: FSSC 22000 (Food Safety System Certification); GMP+B2 (Feed Safety Assurance – Holanda); GMP+B3 Internacional; PQC – Programa de Qualidade do Café da ABIC – Associação Brasileira da Indústria de Café na Torrefação de Café; e pela Kosher, que atesta que o alimento foi produzido dentro dos requisitos exigidos para se ter um alimento de qualidade”, afirma Correa.

 

Fonte: Ocepar

últimas: notícias vídeos

cotações

  • Arroz irrigado em casca – Jaraguá do Sul/SC (Epagri)

    21/11/2017

    valor

    R$ S/Inf.

  • Feijão Carioca -Tipo 1 – Paraná (Seab)

    21/11/2017

    valor

    R$ 108,43

  • Suíno vivo – Jaraguá do Sul/SC (Epagri)

    21/11/2017

    valor

    R$ S/Inf.

  • Milho – Paraná (Seab)

    21/11/2017

    valor

    R$ 22,42

  • Arroz irrigado em casca – Rio do Sul/SC (Epagri)

    21/11/2017

    valor

    R$ 40,00