04/09/2017 16h15 - Atualizado em 04/09/2017 16h15

Exportações de tabaco devem recuperar o ritmo no segundo semestre

Se confirmada, a tendência poderá levar o Brasil à condição de líder mundial na exportação de tabaco pelo 25º ano consecutivo. Em 2016, foram mais de US$ 2 bilhões embarcados.

Setembro 2017 – Apesar de o primeiro semestre ter fechado com queda de -15% nas exportações brasileiras de tabaco, pesquisa conduzida pela PriceWaterhouseCoopers e encomendada pelo Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco) aponta uma tendência de recuperação até o final do ano, quando deverão ser embarcadas de -2% a +2% de tabaco em folha, tanto em dólares como em volume, em relação ao ano passado.

Segundo o presidente do SindiTabaco, Iro Schünke, a tendência confirma a expectativa do setor. “Em março já tínhamos realizado pesquisa que apontou uma tendência de estabilidade nos volumes embarcados. Até o final do ano devemos recuperar o ritmo de embarques, que normalmente acontecem com maior intensidade no segundo semestre e, mais uma vez, o tabaco deverá figurar entre os produtos do agronegócio com maior representatividade na pauta de exportações. A relevância econômica do tabaco para a Região Sul do País, aliás, é incontestável. O produto é o 6º na pauta do agronegócio brasileiro e somente no Rio Grande do Sul, em 2016, representou 10% do total das exportações totais gaúchas, sendo o 2º produto mais embarcado”, avalia Schünke.

Em 2016, foram 483 mil toneladas e US$ 2,12 bilhões exportados, sendo a Região Sul responsável por mais de 99% dos embarques (US$ 2,09 bilhões e 481 mil toneladas). O produto representou 1,15% do total das exportações brasileiras, que em 2016 alcançaram US$ 185,235 bilhões. Entre os principais países importadores, Bélgica, China e Estados Unidos lideraram o ranking de 2016, que contou ao todo com 90 países. O Brasil é responsável por aproximadamente 30% dos negócios mundiais do produto.

 

Fonte: Sinditabaco

últimas: notícias vídeos

cotações

  • Arroz irrigado em casca – Jaraguá do Sul/SC (Epagri)

    21/11/2017

    valor

    R$ S/Inf.

  • Feijão Carioca -Tipo 1 – Paraná (Seab)

    21/11/2017

    valor

    R$ 108,43

  • Suíno vivo – Jaraguá do Sul/SC (Epagri)

    21/11/2017

    valor

    R$ S/Inf.

  • Milho – Paraná (Seab)

    21/11/2017

    valor

    R$ 22,42

  • Arroz irrigado em casca – Rio do Sul/SC (Epagri)

    21/11/2017

    valor

    R$ 40,00